Português

2020.09 – Museu inaugurado em 2013 realiza um brilhante trabalho de preservação e disseminação da radiodifusão brasileira no Estado de Pernambuco

Você é do tipo que gosta de curtir suas músicas favoritas e ouvir as últimas notícias do Brasil e do mundo pelas ondas sonoras do seu radinho a pilha? Ou ele já foi substituído pelos players do seu smartphone, notebook ou computador de mesa?

No início da história do rádio no Brasil, o radinho a pilha era o único meio que os ouvintes encontravam, seja na cidade ou no campo, para acompanhar a programação das emissoras que aos poucos iam surgindo. Dependendo da localidade, a transmissão era feita com interferências sonoras, comprometendo a qualidade do que estava sendo transmitido.

Com o avanço da tecnologia da informação, surgiram outros meio de acesso às milhares emissoras de rádio existente no país: rádio a pilha, rádios elétricos, sites e até aplicativos para smartphones! Seus transmissores de última geração levam aos mais variados públicos de sua audiência uma programação bem diversificada, com muita música, entretenimento e informação de qualidade, contribuindo significativamente para a disseminação da cultura de sua abrangência territorial.

Um lugar ideal para conhecer parte desta história é o Museu do Rádio, equipamento cultural que desempenha um brilhante trabalho de preservação e disseminação da radiodifusão brasileira no sertão de Pernambuco.

A ideia para a criação do Museu surgiu com a publicação do livro “No Coração do Povo – A história da Rádio Pajeú”, lançado no Fala Nordeste 2011, em Recife. Cientes do vasto acervo histórico que a emissora possuía, seus gestores tomaram a nobre iniciativa de inaugurar, em 2013, o Museu do Rádio. O local escolhido para a sua instalação foi o mesmo prédio onde a emissora funcionou entre as décadas de 1950 a 1970.

Imagem de uma sala com diversos equipamentos antigos de rádio e várias fotografias na parede.

Museu do Rádio. (Foto: Site da Rádio Pajeú)

Por meio de fotos e equipamentos das décadas de 1930 a 1970, o Museu traça uma linha do tempo que revela a história do rádio no Brasil, desde o seu surgimento até os dias atuais, com destaque para o valioso trabalho que a emissora Pajeú vem realizando em Pernambuco desde sua fundação, ocorrida em outubro de 1959.

No dia 31 de outubro de 2019, nas comemorações dos 60 anos da Rádio Pajeú FM, o Museu do Rádio foi contemplado com o Espaço Maria da Paz, dedicado à memória da cantora e compositora pernambucana que conquistou projeção nacional com a música “Brincar de Ser Feliz”, interpretada pela dupla sertaneja Chitãozinho & Xororó.

Em razão do isolamento causado pela pandemia Covid-19, o Museu não está recebendo visitas. No site oficial da Rádio Pajeú FM você encontrará novas informações sobre este importante equipamento cultural, o primeiro do gênero, localizado em pleno sertão pernambucano! Segue o link para acesso: http://www.radiopajeu.com.br/portal/museu-do-radio/.

A Rádio Pajeú também possui um perfil no Facebook, link a seguir: https://www.facebook.com/radiopajeu

Por Carlizeth Campos, Assistente em Administração do Mauc.
30.09.2020