Português

2020.10 – Museu inaugurado em 1972 realiza um belo trabalho de preservação da memória ferroviária de Pernambuco

Fotografia da entrada do Museu do Trem do Recife, temos grandes muros com uma pintura branca e janelas com uma pintura amarela ao redor de si, no topo destes muros se encontram 4 esculturas de pássaros.

Estação Central Capiba – Museu do Trem do Recife (Foto: visit.recife.br)

Entre os muitos meios de transporte que temos à nossa disposição, qual deles você utiliza para se deslocar de um lugar para o outro? Você já andou de trem? Sabe como os trens que trafegam pela sua cidade funcionam?

Como você acha que eram os trens do século XIX e início do século XX? Vamos conversar um pouquinho sobre isso?

O trem foi criado inicialmente para transportar cargas em percursos de média e longa distância. Aos poucos, a velocidade dos trens em quilômetros por hora foi passando de muito lenta para uma velocidade mais acelerada. Não resistindo ao peso excessivo dos trens de carga, os trilhos de madeira das primeiras ferrovias brasileiras logo foram
substituídos por trilhos de ferro.

Com o advento da revolução industrial, em alta em 1830, locomotivas a vapor começaram a ser fabricadas por empresas estrangeiras. No século XX, essas locomotivas cederam lugar para locomotivas a diesel, elétricas ou para aquelas que eram tanto a diesel como elétricas.

Uma das estações ferroviárias brasileiras que operou com trens que eram manobrados por essas locomotivas foi a Estação Central Capiba. Inaugurada em 1888, foi em sua época a principal estação ferroviária da capital pernambucana, com trens para os subúrbios do Recife, Interior e para outros Estados do Nordeste. Em 1972, passou a abrigar o Museu do Trem, primeiro do gênero no Brasil e segundo na América Latina.

Com um rico acervo composto por mais de 500 peças e um pátio com trens adquiridos pela Rede Ferroviária Nacional na década de 1950, o Museu do Trem é uma excelente alternativa para quem deseja conhecer de perto a história ferroviária de Pernambuco. Bilheterias, carimbadores, sinalizadores, apitos, relógios, telégrafos, faróis, painéis informativos, instrumentos multimídia, entre outros itens, fazem parte do valioso acervo da Instituição.

Desativada em 2009, a principal plataforma de trens da capital pernambucana nos séculos 19 e 20 não recebe mais locomotivas e passageiros. Desde 2014, ano de sua reinauguração, a Instituição abre suas portas para receber os mais variados públicos interessados em conhecer melhor a história ferroviária de Pernambuco.

Se você tem esse mesmo interesse, não deixe de apreciar o brilhante trabalho da Estação Central Capiba Museu do Trem!

Maiores informações: https://www.facebook.com/museudotrempe.

 

Por Carlizeth Campos, Assistente em Administração do Mauc.
14.10.2020