Equipe MAUC visita a Caixa Cultural Fortaleza

2 de abril de 2019

Foto: Bianca Amarante

Na última sexta-feira (29), a equipe do Museu de Arte da UFC realizou visita técnica à Caixa Cultural Fortaleza. A ação, voltada à formação e capacitação dos servidores e bolsistas, proporcionou o contato com outra realidade institucional e também o estabelecimento de vínculos com profissionais atuantes em espaços culturais da cidade.

A Caixa Cultural Fortaleza está situada na Praia de Iracema, território histórico e de grande importância simbólica para a cidade. O edifício, construído entre as décadas de 1880 e 1890, serviu inicialmente como sede da Alfândega do Porto de Fortaleza e, posteriormente, foi adquirido pela Caixa, que instalou ali a sua mais importante agência no estado do Ceará. Após restauração e adaptação, em 2012 foi inaugurado o centro cultural, que possui auditório, salas de exposição, foyer, biblioteca, café e salas para oficinas de arte-educação.

A equipe MAUC foi recepcionada pelo arte-educador Hítalo Pandit, que compõe a equipe do Programa Gente Arteira, núcleo que articula as ações de educação nas Caixas Culturais. O anfitrião apresentou a história do edifício, do entorno e de alguns elementos arquitetônicos e decorativos de relevância para a compreensão da historicidade do prédio. Além disso, conduziu o grupo pelos diferentes espaços do Centro Cultural.

Experiências e impressões

As visitas técnicas têm proporcionado à equipe do MAUC vivenciar diferentes realidades culturais. Para Auricélia França, técnica de arquivo do museu, a visita à Caixa Cultural foi uma “experiência ímpar”, pois, estar no lugar de visitante, segundo ela, proporciona uma outra visão sobre os espaços culturais, inclusive sobre a própria instituição na qual atua. A servidora destacou ainda a especificidade dos centros culturais, que oferecem múltiplas opções ao público, como exposições, teatro, saraus, etc. Um dos pontos altos da visita, conforme relata, foi a experiência na exposição “J. Borges: 80 anos”, homenagem ao xilogravador pernambucano reconhecido internacionalmente: “o que mais me encantou foi a exposição do J. Borges, pois a sala continha 10 matrizes de xilogravura, onde o visitante podia tocá-las de olhos fechados e vê-las com as palmas da mão. Amei a experiência”.

Foto: Bianca Amarante

A exposição de J. Borges, ao possibilitar o toque às matrizes de xilogravura, permite o acesso à arte a públicos constantemente excluídos das exposições, notadamente as pessoas com deficiência visual. Carlizeth Campos, servidora do MAUC e deficiente visual, pôde apreciar a mostra a partir do toque. A leitura das obras feita por ela evidencia a apropriação da obra do artista: “As obras retratam a cultura regional do seu Estado, Pernambuco: Festas, a forma de trabalho e os meios de transporte utilizados na região. Retratam também a flora e o clima através de um céu estrelado e árvores com pássaros e borboletas. São realmente muito lindas. Amei a experiência!”.

Outro aspecto de destaque na visita, na visão de Eudes Alves, recepcionista do MAUC, foi a hospitalidade com que o grupo foi recebido “gostei muito do espaço e principalmente da forma como fomos recebidos pelos funcionários da instituição”, disse. Já para Igor Moreira, bolsista do setor educativo do MAUC, um dos aspectos que mais o impactaram foi a capacidade de reinvenção de um edifício tao antigo “Já tinha visitado a Caixa Cultural em outras ocasiões, mas foi somente na sexta-feira que pude ter dimensionamento de como aquele prédio tem uma historia e uma identidade própria para a cidade de Fortaleza. Creio que essa impressão veio porque tivemos uma visita guiada que nos apresentou a historia do prédio para alem do prédio.”, finaliza.

Formação interna

As visitas técnicas fazem parte de um projeto da direção do Museu de Arte, que objetiva a capacitação dos profissionais da instituição a partir da vivência em diferentes espaços culturais de Fortaleza. Segundo a diretora do MAUC, Graciele Siqueira, as visitas visam “proporcionar à equipe do Museu de Arte a vivência em espaços museológicos e culturais da Universidade e da cidade de Fortaleza, dando oportunidade de contato com outras experiências, acervos e profissionais.”.

Visita à exposição “J. Borges: 80 anos”

 

Equipe MAUC com equipe do Programa Gente Arteira/Caixa Cultural

Marcadores: