Português

Exposições Atuais

O MAUC tem como espaços reservados à exposição nove ambientes destinados às exposições de longa duração (permanentes) e três à exposições de média e curta duração (temporárias).

A atual exposição de longa duração (permanente) está distribuída em 9 salas, sendo 4 coletivas: Os Fundadores, Arte Cearense, Arte Estrangeira, Cultura Popular, e 5 individuais: Chico da Silva, Aldemir Martins, Antonio Bandeira, Raimundo Cela e Descartes Gadelha.

Para os 57 anos do MAUC e comemoração do Centenário do artista plástico Zenon Barreto, retornamos ao espaço expositivo a escultura “Cristo”, de ferro e cobre, produzido para a inauguração do prédio novo do MAUC, em 1965.  Na área externa, o painel “Jangadas”, também executado por Zenon Barreto, no mesmo período, compõem a exposição de longa duração do museu.

As salas encontram-se organizadas e estruturadas, apresentando ao público os núcleos principais das coleções do museu e da temática de cada sala.


Salas Permanentes

Sala Os Fundadores [temporariamente desmontada]:

Integra esta sala, as obras do artista maranhense e primeiro diretor do MAUC, Floriano Teixeira, obras dos artistas cearenses Heloysa Juaçaba e Sérvulo Esmeraldo, e do artista carioca Oswaldo Teixeira, retratando o primeiro Reitor e criador da Universidade e do Museu, Professor Martins Filho.

 

 

Sala Arte Cearense [temporariamente desmontada]: 

A sala apresenta 27 obras de 26 artistas cearenses que fizeram arte no Ceará e que ao longo de suas trajetórias expuseram aqui no MAUC. Nesta primeira homenagem da sala destacamos o casal Nice e Estrigas, Barrica, José Fernandes, Zenon Barreto, Barboza Leite, Ademar Albuquerque, Nearco Araújo, Sérgio Lima, Sebastião de Paula, Francisco de Almeida, José Tárcísio, Roberto Galvão, Stênio Burgos, entre outros.

 

Sala Arte Estrangeira [temporariamente desmontada]:

A sala apresenta gravuras de artistas que participaram da Escola de Gravadores de Paris, as Heliogravuras de Rembrandt, Dürer, Lucas de Leide e Schoungauer, as Xilogravuras da Escola de Ukiyo-e (reproduzidas pela Unesco na década de 50), além das pinturas de Jean Pierre Chabloz e Bousquet e o busto de Chabloz feito pelo escultor polonês Rainer.

 

 

 

Sala de Cultura Popular

Sala  Cultura Popular

Sala Cultura Popular:

A Cultura Popular Nordestina está apresentada nesta sala através das esculturas em madeira, barro e cerâmica, assim como as matrizes e as estampas de xilogravuras. Neste espaço, destacamos Mestre Vitalino e seus discípulos; Mestre Noza, Chico Santeiro, Joaquim Mulato, Maria e Ciça do Barro Cru; as irmãs Cândido; e os velhos e novos xilogravuristas da região do Juazeiro.

 

 

Sala Chico da Silva

Sala Chico da Silva

Sala Chico da Silva:

(Alto Tejo AC 1910 – Fortaleza CE 1985). Pintor, inicia desenhando a carvão e giz sobre muros e paredes no Pirambu. Descoberto na década de 40, pelo artista plástico suíço Jean Pierre Chabloz, inicia-se na técnica de pintura à guache. Entre 1961 e 1963, trabalha no MAUC. Nesta sala estão expostos os 12 quadros que participaram da Bienal de Veneza de 1966 e que receberam a Menção Honrosa.

 

Sala Aldemir Martins

Sala Aldemir Martins

Sala Aldemir Martins:

(Ingazeiras CE 1922 – São Paulo SP 2006). Pintor, gravador, desenhista, ilustrador.  A sala conta com desenhos, litogravuras, serigrafias, esculturas e pinturas representando os tipos nordestinos e figuras do imaginário nacional, a fauna e a flora, sobretudo galos, cangaceiros, rendeiras, gatos, flores e frutas em linhas sinuosas.

 

 

Sala Antônio Bandeira

Sala Antônio Bandeira

Sala Antonio Bandeira:

(Fortaleza CE 1922 – Paris, França 1967). Pintor, desenhista, gravador. Inicia-se na pintura como autodidata, depois muda-se para o Rio de Janeiro e Paris. Esteve presente na exposição de inauguração do MAUC e em sua sala conta com pinturas, desenhos, guaches e gravuras abstracionistas.

 

 

Sala Raimundo Cela

Sala Raimundo Cela

Sala Raimundo Cela:

(Sobral, Ceará, 1890 – Niterói, Rio de Janeiro, 1954). Pintor, gravador, professor de gravura em metal. Com formação em Ciências e Letras pelo Liceu do Ceará, muda-se em 1910 para o Rio de Janeiro. Estuda na Escola Nacional de Belas Artes e entre 1920 e 1922, viaja a Paris para aperfeiçoar-se. Suas obras retratam a família e os amigos, a paisagem e as figuras populares do Ceará.

 

 

Sala Descartes Gadelha

Sala Descartes Gadelha

Sala Descartes Gadelha:

(Fortaleza, Ceará, 1943). Pintor, desenhista, escultor e músico. Expressionista, retrata em sua obra as temáticas sociais, culturais, religiosas e literárias da sociedade cearense. Apresenta através de desenhos, pinturas e esculturas a desigualdade social, a devoção fervorosa a São Francisco das Chagas e ao Padre Cícero; a formação do Arraial de Canudos sob a liderança de Antonio Conselheiro, o universo dos catadores do Jangurussu e os contos de Moreira Campos.

 


MAUC promove exposições femininas em comemoração do Dia Internacional da Mulher

Imagem: A mostra "Design por mulheres 2020" pretende investigar e dar visibilidade ao papel feminino no design brasileiro (Imagem: Divulgação)Em março, em comemoração do Dia Internacional da Mulher, o Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará (MAUC) apresenta três exposições com curadoria, obras e organização assinadas exclusivamente por mulheres. Gratuitas e abertas ao público, as mostras serão inauguradas a partir desta quinta-feira (5), com a abertura de Design por mulheres 2020, às 19h, seguida pelas aberturas de O monstro que nasce quando o amor acaba e Adjetivo feminino, na sexta-feira (6), às 17h.

Em segunda edição, Design por mulheres 2020 é produto de projeto de extensão do Departamento de Arquitetura e Urbanismo e Design (DAUD) da UFC, formado por mulheres que pretendem investigar e dar visibilidade ao papel feminino no design brasileiro. “Afinidade e diferença dão o tom a essa nova narrativa que não almeja mostrar um design feminino, mas a diferença do que é produzir design como mulher”, explica a curadora Luciana Eloy.

A exposição apresenta um panorama da trajetória de nove mulheres designers, que produziram ou ainda produzem obras que contribuem para a construção e transformação do cenário do design nacional e internacional. São elas: Andrea Kulpas, Clementina Duarte, Cristina Pagnoncelli, Elaine Ramos, Janete Costa, Marianne Peretti, Mirthes Bernardes, Renata Rubim e Zuzu Angel. A mostra é organizada pela Profª Tânia Vasconcelos, coordenadora do projeto de extensão Design por Mulheres, do Curso de Design da UFC.

Imagem: "O monstro que nasce quando o amor acaba" reúne desenhos, pinturas e esculturas autobiográficas da artista Azuhli (Imagem: Divulgação)Já O monstro que nasce quando o amor acaba é a segunda exposição individual de Azuhli, anagrama de Luiza Veras, artista plástica cearense. Com curadoria de Andréa Dall’Olio e Veridiana Brasileiro, trata-se de uma coletânea de desenhos, pinturas e esculturas autobiográficas que exteriorizam os relacionamentos e sentimentos da autora, bem como expõem sua intimidade e cotidiano passional.

“É sem dúvida uma exposição para marcar o território dos sentimentos e relacionamentos da artista, que ressignifica e se apropria de sua história de vida numa catarse emocional”, destaca Veridiana Brasileiro.

Adjetivo feminino, por sua vez, é uma mostra de 27 mulheres artistas plásticas que atuam em Fortaleza e têm a intenção de retratar o olhar feminino e seu fazer artístico. Nesta edição, o elenco é composto por grandes artistas que atuaram no século XX, cujas obras fazem parte do acervo particular do MAUC, e um grupo de artistas contemporâneas que atua na capital cearense. A curadoria, expografia e produção artística são assinadas pelas artistas Andréa Dall’Olio e Sandra Montenegro.

Imagem: "Adjetivo feminino" é uma mostra de trabalhos de 27 mulheres artistas plásticas que atuam em Fortaleza (Imagem: Divulgação)A exposição tem a intenção de ser uma homenagem às mulheres e apresentar a diversidade de expressões artísticas femininas. Serão exibidas obras de Ana Debora Pessoa, Andréa Dall’Olio, Anete Mendonça, Beatriz Bley, Carmelita Fontenele, Clarissa Ribeiro, Cris Cavalcante, Daisy Grieser, Digeórgia, Heloysa Juaçaba, Ivany Gomes, Jacinta Cavalcante, Joana Salle, Lana Benigno, Lia Sanders, Maiara Capistrano, Mariza Viana, Nice Firmeza, Nícia Bormann, Raianny Queiroz, Salete Rocha, Sandra Montenegro, Segiane Cabrall, Sinhá D’Amora, Tereza Mello, Vera Dessart e Vera Sampaio.

O MAUC – O Museu de Arte da UFC está situado na Av. da Universidade, 2854, Benfica, e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Em sábados agendados, o museu abre para visitação com programação especial.

Mais informações sobre as atividades culturais do espaço podem ser encontradas no site do MAUC e nos perfis do Museu no Instagram e no Facebook.

Fonte: Museu de Arte da UFC – fones: (85) 3366 7481 e 3366 7480

 

Duração das exposições

Design por mulheres 2020 – Abertura: 05/03/2020 – Encerramento: 08/05/2020

O Monstro que Nasce quando o Amor Acaba – Abertura: 06/03/2020 – Encerramento: 27/03/2020

Adjetivo Feminino – Abertura: 06/03/2020 – Encerramento: 27/03/2020