Português

2021.03 – Museu paulista que atua há mais de 45 anos na difusão da cultura relojoeira é o primeiro do gênero na América Latina

Cartaz padrão do #ficaadica com este dizer escrito na parte inferior na cor branca sobre um fundo cinza translúcido. Abaixo dessa faixa temos a seguinte informação: "Foto: dimep.com.br". No cartaz temos a fotografia de uma sala de museu, com teto de madeira marrom e parede branca, onde se vê vários relógios cuco. Acima dos relógios, próximo ao teto, lê-se: Museu do Relógio. Prof. Dimas de Melo Pimenta. Na sala também se vê  várias mesas expositivas, com alguns relógios expostos.

Museu do Relógio: Prof. Dimas de Melo Pimenta. (Foto: dimep.com.br).

O relógio está presente em todas as ocasiões da nossa vida. Cronometrando a passagem do tempo, ele nos auxilia a cumprir os compromissos da nossa rotina diária. Fabricado em diferentes modelos e funções, este importante medidor do tempo é inspiração para o trabalho de milhares de profissionais que dedicam sua vida à pesquisa e à execução de novas alternativas de controle do tempo. Um desses profissionais foi o professor e especialista na área, Dimas de Melo Pimenta. Apaixonado pela profissão, iniciou como auxiliar administrativo em 1936 no Departamento de Relógios e Telefones de uma empresa paulista que, na época era representante no Brasil de uma importante empresa alemã. Com uma vocação inata para a micromecânica e a eletricidade de baixa voltagem, Dimas passa a atuar em poucos meses na área técnica da empresa. No desempenho de suas atividades, Dimas dedicou-se de corpo e alma à observação dos diversos relógios e seus sistemas, analisando cada detalhe do seu funcionamento e fabricação e aperfeiçoando seus conhecimentos por meio de leitura técnica especializada.

Em 1950, Dimas compra em Aparecida (SP) um relógio que pertenceu a Amélia de Leuchtenberg, esposa de D. Pedro I e Duquesa de Bragança, iniciando assim uma vasta coleção de relógios antigos, que reflete a evolução histórica da relojoaria em todo o mundo. Este valioso acervo inspirou a criação do Museu do Relógio Dimas de Melo Pimenta, que é a nossa dica de museu de hoje. A Instituição, fundada em 1975, dispõe de mais de 600 itens vindos de diversas partes do mundo. São relógios de sol, de areia, de pulso, de bolso, de mesa, de sala, além dos belíssimos cucos.

Ao entrar no Museu, o som quase sincronizado do tic-tac dos relógios encanta o visitante. A visita, feita por um historiador capacitado, proporciona um vasto conhecimento sobre a história das peças do acervo, sua origem e utilidade. Desde sua fundação, novos itens foram agregados ao acervo, fruto de doações ou compras institucionais. Essas novidades chegam ao conhecimento do público no evento “Retrospectiva Anual”, que chegou à sua 47ª edição em outubro de 2019.

Conheça parte deste rico acervo em um passeio virtual no site oficial da DIMEP. Acesse: http://www.dimep.com.br/museu.

Por Carlizeth Campos

Assistente em administração do Mauc

31/03/2021