Exposições Atuais

O MAUC tem como espaços reservados à exposição nove ambientes destinados às exposições de longa duração (permanentes) e três à exposições de média e curta duração (temporárias).

A atual exposição de longa duração (permanente) está distribuída em 9 salas, sendo 4 coletivas: Os Fundadores, Arte Cearense, Arte Estrangeira, Cultura Popular, e 5 individuais: Chico da Silva, Aldemir Martins, Antonio Bandeira, Raimundo Cela e Descartes Gadelha.

Para os 57 anos do MAUC e comemoração do Centenário do artista plástico Zenon Barreto, retornamos ao espaço expositivo a escultura “Cristo”, de ferro e cobre, produzido para a inauguração do prédio novo do MAUC, em 1965.  Na área externa, o painel “Jangadas”, também executado por Zenon Barreto, no mesmo período, compõem a exposição de longa duração do museu.

As salas encontram-se organizadas e estruturadas, apresentando ao público os núcleos principais das coleções do museu e da temática de cada sala.


Salas Permanentes

Sala Os Fundadores:

Integra esta sala, as obras do artista maranhense e primeiro diretor do MAUC, Floriano Teixeira, obras dos artistas cearenses Heloysa Juaçaba e Sérvulo Esmeraldo, e do artista carioca Oswaldo Teixeira, retratando o primeiro Reitor e criador da Universidade e do Museu, Professor Martins Filho.

 

 

Sala Arte Cearense: 

A sala apresenta 27 obras de 26 artistas cearenses que fizeram arte no Ceará e que ao longo de suas trajetórias expuseram aqui no MAUC. Nesta primeira homenagem da sala destacamos o casal Nice e Estrigas, Barrica, José Fernandes, Zenon Barreto, Barboza Leite, Ademar Albuquerque, Nearco Araújo, Sérgio Lima, Sebastião de Paula, Francisco de Almeida, José Tárcísio, Roberto Galvão, Stênio Burgos, entre outros.

 

Sala Arte Estrangeira:

A sala apresenta gravuras de artistas que participaram da Escola de Gravadores de Paris, as Heliogravuras de Rembrandt, Dürer, Lucas de Leide e Schoungauer, as Xilogravuras da Escola de Ukiyo-e (reproduzidas pela Unesco na década de 50), além das pinturas de Jean Pierre Chabloz e Bousquet e o busto de Chabloz feito pelo escultor polonês Rainer.

 

 

 

Sala de Cultura Popular

Sala  Cultura Popular

Sala Cultura Popular:

A Cultura Popular Nordestina está apresentada nesta sala através das esculturas em madeira, barro e cerâmica, assim como as matrizes e as estampas de xilogravuras. Neste espaço, destacamos Mestre Vitalino e seus discípulos; Mestre Noza, Chico Santeiro, Joaquim Mulato, Maria e Ciça do Barro Cru; as irmãs Cândido; e os velhos e novos xilogravuristas da região do Juazeiro.

 

 

Sala Chico da Silva

Sala Chico da Silva

Sala Chico da Silva:

(Alto Tejo AC 1910 – Fortaleza CE 1985). Pintor, inicia desenhando a carvão e giz sobre muros e paredes no Pirambu. Descoberto na década de 40, pelo artista plástico suíço Jean Pierre Chabloz, inicia-se na técnica de pintura à guache. Entre 1961 e 1963, trabalha no MAUC. Nesta sala estão expostos os 12 quadros que participaram da Bienal de Veneza de 1966 e que receberam a Menção Honrosa.

 

Sala Aldemir Martins

Sala Aldemir Martins

Sala Aldemir Martins:

(Ingazeiras CE 1922 – São Paulo SP 2006). Pintor, gravador, desenhista, ilustrador.  A sala conta com desenhos, litogravuras, serigrafias, esculturas e pinturas representando os tipos nordestinos e figuras do imaginário nacional, a fauna e a flora, sobretudo galos, cangaceiros, rendeiras, gatos, flores e frutas em linhas sinuosas.

 

 

Sala Antônio Bandeira

Sala Antônio Bandeira

Sala Antonio Bandeira:

(Fortaleza CE 1922 – Paris, França 1967). Pintor, desenhista, gravador. Inicia-se na pintura como autodidata, depois muda-se para o Rio de Janeiro e Paris. Esteve presente na exposição de inauguração do MAUC e em sua sala conta com pinturas, desenhos, guaches e gravuras abstracionistas.

 

 

Sala Raimundo Cela

Sala Raimundo Cela

Sala Raimundo Cela:

(Sobral, Ceará, 1890 – Niterói, Rio de Janeiro, 1954). Pintor, gravador, professor de gravura em metal. Com formação em Ciências e Letras pelo Liceu do Ceará, muda-se em 1910 para o Rio de Janeiro. Estuda na Escola Nacional de Belas Artes e entre 1917 e 1922, viaja a Paris para aperfeiçoar-se. Suas obras retratam a família e os amigos, a paisagem e as figuras populares do Ceará.

 

 

Sala Descartes Gadelha

Sala Descartes Gadelha

Sala Descartes Gadelha:

(Fortaleza, Ceará, 1943). Pintor, desenhista, escultor e músico. Expressionista, retrata em sua obra as temáticas sociais, culturais, religiosas e literárias da sociedade cearense. Apresenta através de desenhos, pinturas e esculturas a desigualdade social, a devoção fervorosa a São Francisco e ao Padre Cícero; a formação do Arraial de Canudos sob a liderança de Antonio Conselheiro e os contos de Moreira Campos.


 

Espedito Seleiro: 80 anos de couro e alma

Período: 13/08 a 28/09

80 ANOS ESPEDITO SELEIRO de Couro e Alma 

Por meio de uma intuição inventiva, astuta e criativa, se fez um dos mais expressivos artesãos brasileiros, implementando uma marca que não nega as origens e que, hoje, representa inegavelmente toda uma vertente da cultura popular nacional. 

Espedito Seleiro construiu com as mãos, através de sinuosos recortes, um mundo lúdico de couro e de cor que vai muito além da técnica e  da materialidade refinada dos seus produtos. Além de representar uma identidade autêntica e singular, seu trabalho é cheio de significados e de expressões genuínas da nossa ancestralidade. Uma obra expressa na contemporaneidade de produtos que se eternizam,  não apenas por nos encher os olhos, mas por engrandecer nossa alma.

Esta exposição-homenagem ao designer-artesão tem o intuito de trazer alguns recortes de uma  trajetória de quase 80 anos no ofício do manuseio do couro. A exposição traz ainda as influências e tradições do mestre, seu negócio em família, as parcerias  e, principalmente seus produtos. Além de cobrir e proteger eles embelezam nossos corpos abrigando-os em uma casa que é feita de pura imaginação. É por isso e mais um pouco que ele se fez mais que um artesão ou um designer, ele se fez um Mestre.

Erico Gondim / Curador

 

Obras: objetos em couro (sela, bolsas, vestuário, calçados), mobiliário, fotos, vídeos, esculturas, moldes, instrumentos de trabalho.

 

Créditos

Universidade Federal do Ceará 

Reitor
Henry de Holanda Campos

Vice-reitor
Custódio Luís Silva de Almeida

Pró-reitora de Extensão
Márcia Maria Tavares Machado

Diretora do Museu de Arte da UFC
Graciele Karine Siqueira

Diretor do Centro de Tecnologia
Carlos Almir Monteiro de Holanda

Coordenadora do Curso de Design
Mariana Monteiro Xavier de Lima

Projeto Espedito Seleiro 80 anos

Coordenadora do Projeto
Tania de Freitas Vasconcelos

Alunos colaboradores
Ana Carolina de Alcântara Pereira
Gabriel da Silva Ferreira
Monica Rodrigues dos Santos
Renata Pinheiro de Almeida
Sanderson Amaral Souza

Exposição

Curadoria
Érico Gondim Oliveira

Design Expográfico
André Scarlazzari
Érico Gondim Oliveira
Tânia de Freitas Vasconcelos

Assistente de Expografia e Identidade Visual
Ana Carolina de Alcântara Pereira
Gabriel da Silva Ferreira
Monica Rodrigues dos Santos
Renata Pinheiro de Almeida
Sanderson Amaral Souza

Textos
Eduardo Motta

Fotografias
Francisco Hélio de Sousa Filho
Jorge Freire Costa