Área do cabeçalho
gov.br
Portal da UFC Acesso a informação da UFC Ouvidoria Conteúdo disponível em: Português

Universidade Federal do Ceará
Museu de Arte da UFC – M A U C

Área do conteúdo

Fontes para a história do Mauc

Saulo Moreno Rocha

Museólogo – Coordenador do Núcleo Educativo do Mauc

Antônio Martins Filho, fundador da UFC e do Mauc, em visita à instituição no início dos anos 2000.

O Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará (Mauc/UFC) completou 59 anos ontem, 25 de junho. Primeiro museu de arte do Estado do Ceará, a instituição surgiu da confluência de interesses e mobilizações de acadêmicos, artistas e diferentes profissionais. O Educativo Indica! apresenta hoje 4 textos, fundamentais à compreensão do surgimento da ideia do Museu, bem como de seus primeiros anos.

O primeiro deles é A ideia da criação do Museu de Arte, um escrito clássico e sempre referenciado em textos sobre a instituição, pois produzido pelo seu fundador, o Professor Antonio Martins Filho. Reitor fundador da UFC, Martins Filho é um dos personagens centrais na história dos campos educacional e cultural no Ceará. No texto memorialístico, publicado em 1983 no livro O outro lado da História, o autor constrói uma narrativa sobre como surgiu a ideia do museu, retomando uma viagem realizada à Europa, em 1949, com a Embaixada Cultural Clóvis Beviláqua, formada por acadêmicos da Faculdade de Direito do Ceará.

Da viagem, o autor aponta para sua visita a museus e do seu encontro com o cearense Antônio Bandeira, à época residindo na França. Relembra ainda outra viagem realizada em 1952, momento no qual pontua com frequência as visitas realizadas a museus. Na sequência do texto, o autor liga as suas viagens e visitas a museus ao surgimento, anos depois, do Museu de Arte, dando a entender que a sensibilização para a importância dos museus nasceu nesses movimentos entre o Ceará e a Europa e no diálogo com diferentes artistas.

Outro nome referenciado no texto de Martins Filho é o do artista Floriano Teixeira, maranhense, convidado pelo Reitor para integrar a equipe da UFC nos primeiros anos de sua criação, como desenhista, e que recebeu a missão de tornar realidade a ideia do Mauc, ventilada por Heloísa Juaçaba. Teixeira atuou como pesquisador, percorrendo, como funcionário da Universidade, diferentes regiões do Nordeste brasileiro, coletando objetos que, posteriormente, foram incorporados ao acervo do Mauc. Por conta disso, em 1961, se tornou o primeiro diretor do Museu, responsável pelos primeiros anos de vida da instituição.

Nos textos Floriano em três momentos e Em louvor ao cidadão Floriano Teixeira, escritos para diferentes ocasiões de homenagem, Martins Filho apresenta a sua relação com o artista maranhense, destacando a importância que teve nas ações pré e pós criação do Museu de Arte. São importantes fragmentos de memória que permitem uma visualização mais detalhada do trabalho e dos esforços feitos para que o museu universitário tomasse os seus primeiros contornos.

Por fim, o quarto texto que destacamos, Martins Filho e as Artes Plásticas no Ceará: o Museu de Arte da UFC, é de autoria da primeira mulher a assumir a direção do Mauc, Zuleide Martins de Menezes. Filha de Martins Filho, Zuleide esteve à frente da instituição de 1965 a 1985, contribuindo decisivamente para a consolidação do museu e do fortalecimento de sua atuação.

O texto integra uma coletânea de artigos – Martins Filho de Corpo Inteiro – sobre diferentes facetas da vida e atuação do fundador da UFC e do Mauc, organizada pelo Prof. Paulo Elpídio de Menezes Neto e publicada em 2004, nas comemorações do centenário de nascimento do Reitor. Além de pontuar diferentes questões acerca da criação do Museu, Zuleide destaca algumas das realizações de sua gestão, como a publicação do Catálogo do Mauc, a formação das coleções, as ações de intercâmbio, o surgimento das salas especiais de artistas, as exposições realizadas e o papel do museu na sociedade e nas artes do Ceará. É, certamente, um documento valioso para compreendermos as ações que contribuíram para a solidificação da ideia surgida no final dos anos 1950 e para a expansão e consolidação do Mauc nos anos subsequentes.

No próximo ano completamos o nosso 60º aniversário. Momento de celebrar a vitalidade de um museu que atravessa gerações, marcando nossas vidas e a de inúmeros artistas e cidadãos e cidadãs cearenses. Casa das Artes, da ideia à realização, o Mauc é fruto da operosa dedicação de muitos e muitas. Nesta edição especial do Educativo Indica!, apresentamos alguns recortes de memória importantes para compreendermos sua história. Contudo, esta história continua a ser escrita e reelaborada, todos os dias, pela ação de todas e todos que fazem da arte a nossa história e que acreditam na importância do Museu de Arte da UFC para a sociedade e o país.

Parabéns, Mauc!

 

Referências

MARTINS FILHO, Antonio. A ideia da criação do Museu de Arte. In: MARTINS FILHO, Antonio. O outro lado da história. Fortaleza: Edições Universidade Federal do Ceará, 1983, p. 192-195.

MARTINS FILHO, Antonio. Floriano em três momentos. In: MARTINS FILHO, Antonio. Elogio aos doutores e outras mensagens. Fortaleza: Casa de José de Alencar, 1995, p. 153-154.

MARTINS FILHO, Antonio. Em louvor ao cidadão Floriano Teixeira. In: MARTINS FILHO, Antonio. Elogio aos doutores e outras mensagens. Fortaleza: Casa de José de Alencar, 1995, p. 153-154.

MENEZES, Zuleide Martins de. Martins Filho e as Artes Plásticas no Ceará: o Museu de Arte da UFC. In: MENEZES NETO, Paulo Elpídio de. (Org.). Martins Filho de Corpo Inteiro. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2004, p. 99-108.

Acessar Ir para o topo